CRITÉRIOS PARA A ESCOLHA DOS RODOS DE IMPRESSÃO

A serigrafia é o processo de reprodução da imagem mais versátil que existe. Temos flexibilidade de forma, tamanho, material, deposição de tinta e nível de automatização. É estratégico buscar a profissionalização e total controle do processo. Cada vez mais busca-se impressões com maior definição (recortes independentes da trama do tecido) e maior resolução (linhas cada vez mais finas e imagens foto-realísticas).

O rodo de impressão é um dos elementos chaves. Algumas pessoas o conhecem como Racla (proveniente do termo alemão Rackel) ou Squeegee (inglês). Deve possuir uma característica plástica de acomodamento e flexibilidade. Inicialmente eram fabricados com vários tipos de borracha, mas atualmente são fabricados com poliuretano devido à sua resistência química e à abrasão.

O objetivo deste artigo é apresentar alguns critérios para a escolha do rodo de impressão ideal e ajudar os impressores nesse controle. Necessitamos conhecer suas características e otimiza-las para garantir a reprodução da imagem com fidelidade.

A escolha do rodo apropriado depende de algumas variáveis do processo de impressão serigráfica e também é influenciada por elementos como o substrato, as tintas, imagem, equipamento de impressão, etc. Muitos de seus parâmetros são variáveis que devemos controlar no processo de impressão.

No diagrama abaixo podemos notar algumas variáveis de impressão diretamente ligadas ao rodo. Os parâmetros da impressora como pressão (f), velocidade (g) e inclinação do rodo (h) serão abordados oportunamente. Nosso objetivo agora é apresentar as propriedades das tiras de impressão que influenciam o processo de impressão:

a) Dureza: Medida da rigidez ou suavidade da superfície do rodo de impressão, que usualmente é fabricado em poliuretano. A dureza, em conjunto com as dimensões e forma determinam as características de dobragem, flexibilidade e compressão do rodo de impressão. Para a medição da dureza, usamos uma unidade chamada Shore A e para as tiras de impressão, pode variar de 55 a 90 Shore A. Isto afeta a adaptação (moldagem) da tira na superfície do material a ser impresso e determina a quantidade de força que se transmite no momento de impressão. Os rodos de impressão podem ser encontrados com durezas únicas ou na forma de um sanduíche com durezas variadas. Esta tira de múltipla dureza possui uma alma rígida, que minimiza a curvatura ou flexão do rodo durante a impressão. Uma importante vantagem do rodo de tripla dureza sobre a tradicional tira de dureza única, é que ao longo do tempo, uma tira de dureza única se dobrará mais do que o de tripla dureza, com as mesmas dimensões físicas originais. Essa maior curvatura gerada pela pressão do rodo vai gerar uma maior força no contato da tira de impressão com o tecido da matriz, reduzindo o ângulo ótimo de impressão e atrapalhará o descolamento da matriz do substrato. No começo, isto pode não aparecer tão crítico nas primeiras impressões, mas será evidente para os trabalhos com tiragens mais longas, levando à perda de detalhes ou problemas de ganho de pontos quando imprimimos retículas de meio tons. Uma tira de tripla dureza resiste mais à esta “curvatura” durante o processo de impressão. Requer menos pressão, o que resultará em menor desgaste da borda e maior vida útil do rodo de impressão.

b) Espessura: Esta dimensão do rodo de impressão deve ser definida em função do suporte do rodo. Nunca podemos usar uma espessura de tira diferente da canaleta de encaixe da tira. Lembrar que quanto mais fina for a tira, mais facilmente ela se dobrará durante o processo de impressão comprometendo a repetibilidade e qualidade do impresso.

c) Altura livre: Esta é a altura da tira que fica para fora do porta-rodo de impressão e será proporcional à quantoa tira se dobrará quando submetida à pressão. Quando a tira de poliuretano se dobra, o ângulo de impressão se muda e as forças sobre o substrato reduzem. Um ângulo maior gera menor força, o que pode resultar em uma pressão insuficiente para a passagem da tinta. Nesse momento, a maioria dos impressores aplicam mais pressão no rodo, o que resulta em curvatura ainda maior da tira reduzindo ainda mais o depósito de tinta.

d) Perfil: Está associado à forma real dos cantos da tira de impressão. O perfil quadrado ou retangular, com a borda fina, é o perfil mais comum na impressão de serigrafia. Já para a impressão de frascos cilíndricos, o perfil chanfrado é o mais indicado. Para aplicações têxtieis, utiliza-se o perfil arredondado para maior depósito de tinta.

e) Fio da borda da tira:Está associada à quantidade de tinta que deve passar para o substrato. Esta quantidade de tinta que passa pela matriz também afeta a resolução da imagem. Quando se deposita menos tinta (menor pressão de fluxo) a imagem impressão é mais bem definida. A borda de qualquer tipo de poliuretano se deteriorará devido à abrasão ao longo do uso, causando a mudança de seu perfil. Quando isto ocorrer, a borda pode retornar à condição ótima de impressão utilizando um correto afiador de rodo.

Nos exemplos apresentados a seguir, a mesma imagem foi impressa com seis tiras diferentes. Todas com o mesmo perfil reto. Cada uma com uma dureza diferente, mas utilizando a mesma matriz e tinta, em uma impressora automática. Não houve nenhuma alteração do ângulo do rodo, perfil, pressão e altura livre, nem tão pouco alteramos a distância de fora de contato, entre o substrato e o lado inferior da matriz.

65sh Vermelha

75sh Verde

85sh Azul

55/90/55sh Laranja/Branco/Laranja

65/90/65sh Vermelha/Branco/Vermelho

75/90/75 Verde/Branco/Verde

O depósito de tinta depende de vários fatores como tela, tinta, emulsão, etc.; o rodo de impressão é apenas um desses fatores.

A regra geral é:

  • Rodo mais mole -> maior depósito de tinta (indicado para áreas sólidas e depósitos espessos).
  • Rodo mais duro -> menor depósito de tinta (indicado para meio tons, detalhes finos e depósito fino).

Esta série de impressões demonstram como a dureza do rodo de impressão influencia profundamente na alteração do depósito de tinta e o nível dos detalhes finos.

Todavia, lembrar que a rigidez da base também influencia no volume de tinta depositado. Bases macias vão gerar um maior depósito de tinta (e menor resolução dos detalhes finos); uma base dura vai gerar um menor depósito de tinta, com maior uniformidade e maior resolução da imagem.

É importante que os impressores escolham os rodos levando em conta o rendimento demonstrado, mediante a avaliação dos diferentes materiais de rodos disponíveis, dentro do seu próprio ambiente de trabalho e sobre suas condições específicas. Este é o único modo de determinar qual rodo vai proporcionar os resultados mais satisfatórios.

ESPECIFICAÇÕES DAS ARTES IMPRESSAS:

Arte: 50 dpi (19,7 lpc) / Ponto elíptico / 61˚ de inclinação / realizado em Adobe Illustrator CS3 Tela: 62 fios/cmTensão da matriz: 30 N/cm Tipo de tinta: Plastisol Substrato: 100% algodão Impressora: Carrossel automático da M&R tipo Sportman Tiras de impressão: Buffalo MAX com perfil P0 e seção transversal de 50x10 mm, com durezas únicas de 65 Shore A, 75 Shore A e 85 Shore A; triplas durezas de 55/90/55 Shore A, 65/90/65 Shore A e 75/90/75 Shore A

CUIDADOS E ARMAZENAGEM DOS RODOS DE IMPRESSÃO:

  • As tiras de impressão devem ser armazenadas planas. Não enroladas.
  • As tiras já montadas nos porta rodo de alumínio nunca devem permanecer em contato com nenhuma superfície. O conjunto nunca pode ser armazenado apoiando-se na tira de impressão.
  • As tiras de impressão devem ser afiadas antes do primeiro uso devido a um possível posicionamento incorreto da tira no conjunto do porta rodo e aperto dos parafusos. Esta fixação pode causar distorções e pressões variadas, gerando alturas livres diferentes ao longo do comprimento do rodo e causando depósitos de tinta irregulares, que podem criar variações radicais de cores e problemas de registro.
  • Após o uso, assegure-se que as tiras de impressão estejam limpas, secas, livres de solventes e sem plastificantes da tinta. Não deixe as tiras imergidas em solventes. Isto vai causar um inchaço temporário e a perda permanente de resiliência.
  • As tiras de impressão devem ser invertidas durante longas tiragens de impressão para evitar deformações permanentes.
  • As tiras de impressão que foram utilizadas e precisam ser afiadas, devem primeiramente ser limpas e permitir que descansem entre 6 e 12 horas. Elas devem ser afiadas somente DEPOIS de descansar. NUNCA antes.