Agabê

A moeda forte da sua empresa

(11) 2813-4600

Suporte Técnico

Guia de soluções de problemas

OBJETIVOS DESTE GUIA


Nós da Agabê trabalhamos para reduzir ao máximo seus problemas com a serigrafia. Além de desenvolver e fabricar produtos com a mais alta qualidade e tecnologia, temos com os clientes o compromisso permanente de prestar assistência imediata e eficiente. Por isso, editamos este guia, cuja finalidade é identificar e solucionar os problemas mais comuns da preparação de matrizes serigráficas pelo processo fotográfico direto.

O guia foi subdividido segundo as etapas de preparação da matriz. Ajuda a indicar o problema, as possíveis causas e suas soluções. Mantenha-o em local visível no seu laboratório de preparação de matrizes, para que no momento necessário, toda a equipe tenha acesso a ele. É também importante acessar nosso site e consultar as literaturas técnicas específicas para cada produto e muitas outras informações relevantes. Você ainda conta com o suporte de nossa equipe técnica, sempre à disposição.



LINHA DE PRODUTOS AGABÊ




A AGABÊ possui uma linha completa de emulsões fotográficas para preparação de matrizes de alta definição e resolução.



Do tensionamento ao reaproveitamento do tecido, você encontra todos os produtos químicos necessários: alta tecnologia dentro dos mais altos níveis de qualidade com responsabilidade ambiental.



Emulsões pré-sensibilizadas (Fotopolímero puro).



Produtos para a fixação de qualquer tecido em todos os tipos de caixilhos e posterior remoção.



Emulsões sensibilizáveis com Diazo.



Para o pré-tratamento dos tecidos antes da aplicação da emulsão.



Emulsões para estamparia rotativa com cilindros de níquel.



Produtos para a elaboração de positivos e negativos de alta qualidade, com boa opacidade e transparência.



Emulsões sensibilizáveis com Diazo.



Para garantir a perfeita revelação da matriz, complementar o tempo de exposição e evitar a formação do véu.



Emulsões para sistemas de exposição direta (CtS).



Para a vedação das áreas abertas e retoques das matrizes. Disponível nas versões resistente a solventes e à água.



Emulsões sensibilizáveis com Diazo ou Bicromato.



Para melhorar a resistência química e mecânica das emulsões.



Para aumento da qualidade e produtividade, em compromisso com saúde, segurança e respeito ao meio ambiente.



Para a recuperação rápida, completa e segura de matrizes serigráficas.



TECIDOS TÉCNICOS DE ALTA PRECISÃO




Uma ampla linha de tecidos de altíssima qualidade, para as áreas de serigrafia, filtração e peneiras. Em Poliéster, Nylon, Aço Inox, Níquel e outros materiais especiais.



ACESSÓRIOS




Completa linha de acessórios para todas as etapas do processo serigráfico, garantindo o máximo de produtividade com qualidade e ergonomia.

• Aplicador de emulsões HB APLIC® • Espátulas de aço ou polietileno
• Aspirador de água com bico em aço inox • Luvas, máscaras e óculos de proteção
• Brochas, escovas e esponjas de limpeza • Microscópios de até 100x com iluminação
• Cabines de revelação e limpeza • Pinças pneumáticas para tensionamento
• Caixilhos de alumínio • Pincéis para aplicação de adesivos
• Cavalete para emulsionamento manual • Raspadores de caixilhos
• Clear Film: Substrato para positivos com impressoras de jato de tinta • Rodos de impressão (madeira ou alumínio)
• Caixilhos de alumínio • Tanques de imersão de matrizes (revelação, decapagem e limpeza)
• Decantador para reciclagem de solventes • Tensiômetro
• Caixilhos de alumínio • Tiras de poliuretano Seritec, RKS ou Buffalo (diversos perfis, durezas e conceitos, cobrindo todas as áreas de aplicação)
• Durômetro
• Escalas Agabê para controle de exposição, definição e resolução (Normal e Alto relevo)
• Esguicho para revelação de matrizes


EQUIPAMENTOS


A mais completa oferta de equipamentos de alta tecnologia para tensionamento, emulsionamento, gravação, revelação, limpeza e reaproveitamento de matrizes serigráficas e impressoras de alta produtividade.

- Para revelação de matrizes serigráficas com recirculação, proporcionando uma economia de até 80% de água. : Sistema para limpeza manual com recirculação de solvente (versões de bancada e piso)


ACESSÓRIOS


- Equipamentos para lavagem, remoção da emulsão, desengraxamento, emulsionamento, revelação, secagem e tratamento de água.



ACESSÓRIOS


- Gravação digital de matrizes serigráficas com exposição direta UV - de acendimento instantâneo -Sistemas de exposição UV para gravação de matrizes serigráficas - Soluções inovadoras para impressão digital e em serigrafia -Impressoras serigráficas cilíndricas de alta produtividade e precisão



1 Aplicação da emulsão e secagem

PROBLEMA

CAUSA

SOLUÇÃO

FUROS Poeira ou sujeira no tecido ou no aplicador. • Desengraxar o tecido com HB 10 ou Decaprep e enxaguar completamente. • Manter o pote de emulsão fechado quando não o estiver utilizando. • Manter o aplicador de emulsão limpo e coberto. • Manter limpos os filtros das estufas e ventoinhas. • Manter limpa a área de trabalho.
Bolhas de ar na emulsão geradas durante sua agitação. • Após sensibilizar a emulsão, deixá-la descansar por no mínimo 2 horas para eliminação das bolhas de ar. • Usar uma emulsão pré-sensibilizada Unifilm.
Bolhas de ar causadas pela aplicação de emulsão de baixa viscosidade em tecidos muito abertos. • Usar uma emulsão de maior viscosidade.
Bolhas de ar causadas pela aplicação da emulsão muito rápida no tecido. • Reduzir a velocidade de aplicação da emulsão no tecido.
OLHOS DE PEIXE Tecido contaminado com graxas, óleos ou gorduras. • Desengraxar o tecido com HB 10 ou Decaprep e enxaguar completamente. Para tecidos muito contaminados, desengraxar com a Pasta alcalina HB 54 ou Decaclean HR. • Para agilizar a secagem do tecido, usar um aspirador de água. Não utilizar ar comprimido.
RISCOS/LINHAS
NA CAMADA
DE EMULSÃO
APLICADA
NA TELA
Perfil do aplicador amassado. • Substituir o perfil danificado. Não tentar corrigir lixando, pois criará depressões no aplicador, que ocasionará camadas com espessura irregular.
Condensação de umidade no pote da emulsão. • Misturar vagarosamente a emulsão antes da aplicação. Cuidado para não criar bolhas de ar.
CAMADA
IRREGULAR
Tensão incorreta do tecido. • Esticar o tecido com equipamento pneumático ou mecânico.
• Tensionar segundo recomendação do fabricante do tecido.
Processo de aplicação manual. • Utilizar um aplicador automático, para garantir a uniformidade de pressão e velocidade do processo.
Tecido contaminado com graxas, óleos ou gorduras. • Desengraxar o tecido com HB 10 ou Decaprep e enxaguar completamente. Para tecidos muito contaminados, desengraxar com a Pasta alcalina HB 54 ou Decaclean HR. • Para agilizar a secagem do tecido, usar um aspirador de água. Não utilizar ar comprimido.
Tecido não foi seco completamente. Resíduos de umidade. • Secar o tecido completamente antes da aplicação da emulsão. • Instalar um desumidificador em seu ambiente de trabalho e na estufa.
Tecido com resíduos de tinta ou emulsão do trabalho anterior. • Usar a Pasta alcalina HB 54 ou o Decaclean HR, para a completa limpeza da matriz. • Prevenir a impregnação da tinta com Variopress, Varioclean S ou Decaclean MIX A+B. • Substituir o tecido.
Perfil do aplicador irregular. • Usar um aplicador uniforme.
Largura do aplicador não é a ideal para a dimensão da tela. • Usar um aplicador que cubra a largura total da matriz. • Não utilizar um aplicador pequeno em várias passadas paralelas. • Evitar um aplicador muito grande que toque no caixilho
EMULSÃO COM
GRUMUS, PARTÍCULAS
OU IMPUREZAS
Emulsões foram submetidas
a baixas temperaturas e congelaram.
• Armazenar as emulsões corretamente (até 22°C); evitar temperaturas inferiores a 0°C.
Emulsão secando no pote ou contaminação do ambiente de trabalho. • Manter o pote de emulsão sempre fechado e o aplicador sempre coberto.
• Manter limpas a estufa de secagem e a área de trabalho.
Diazo armazenado por tempo excessivo ou exposto à temperaturas elevadas. • Observar a validade e condições de transporte e armazenagem do sensibilizador. • Nunca armazenar o Diazo em temperaturas superiores a 22ºC. Armazenado em congelador (freezer), tem vida útil de 18 meses. Em outras condições, a vida útil diminui com a temperatura e umidade.
Emulsão sensibilizada com Diazo: o sensibilizador não foi perfeitamente dissolvido. • Dissolver o Diazo (pó) completamente em água morna a 22oC antes de adicioná-lo à emulsão. No caso de utilização do Diazo de Adição Direta (D.A.D.), dissolver completamente o sensibilizador no pote da emulsão e garantir sua homogeneização.
2 Exposição e revelação

PROBLEMA

CAUSA

SOLUÇÃO

EMULSÃO ADERINDO
AO POSITIVO E AO
VIDRO DA PRENSA
DE CONTATO
Tempo de secagem da emulsão insuficiente ou umidade elevada na estufa de secagem e/ou no laboratório. • Deixar a emulsão secar completamente. Atenção: o tempo de secagem é proporcional à lineatura do tecido, ao tipo de emulsão e à espessura da camada. • A estufa deve possuir entrada de ar quente filtrado, com saída de ar, de preferência para fora do laboratório. • Usar um desumidificador.
Algumas emulsões dupla-cura ou Pré-sensibilizadas contêm produtos que deixam a camada levemente pegajosa enquanto não forem fotografadas. • Aplicar um pouco de talco sobre a camada de emulsão antes da exposição. • Utilizar as emulsões Dualfilm XL ou Decafilm QD, com superfícies anti-aderentes
A CAMADA DE
EMULSÃO
APRESENTA FUROS
E ESTÁ SOLTANDO
DURANTE A
REVELAÇÃO
(DELAMINANDO)
Desengraxamento incorreto. • Desengraxar o tecido com HB 10 ou Decaprep e enxaguar completamente. Para tecidos muito contaminados, desengraxar com a Pasta alcalina HB 54 ou Decaclean HR. • Para agilizar a secagem do tecido, usar um aspirador de água. Não utilizar ar comprimido.
Sub-exposição. (tempo insuficiente). • Determinar o tempo de exposição ideal para o total endurecimento da camada. • Usar a Escala Agabê para controle de exposição, definição e resolução. • Controlar o tempo de vida útil da lâmpada e uma eventual queda de voltagem.
Diazo armazenado por tempo excessivo ou exposto à temperaturas elevadas. • Observar a validade e condições de transporte e armazenagem do sensibilizador. • Nunca armazenar o Diazo em temperaturas superiores a 22ºC. Armazenado em congelador (freezer), tem vida útil de 18 meses. Em outras condições, a vida útil diminui com a temperatura e umidade.
A emulsão diazoica sensibilizada ou aplicada no tecido foi armazenada por tempo excessivo. • Observar a vida útil das emulsões diazóicas: não sensibilizadas: 24 meses; depois de sensibilizadas: 3 meses (a 22ºC); aplicada na matriz: fotografar e revelar em até 2 semanas. • É aconselhável anotar no pote a data da sensibilização.
A emulsão diazóica foi seca a temperatura alta, causando a degeneração do sensibilizador. • Não secar matrizes com emulsões diazóicas em temperaturas superiores a 40ºC. • Controlar a temperatura e nível de umidade na estufa.
Fonte de luz incorreta. • Fotografar as emulsões pré-sensibilizadas ou sensibilizadas com Diazo somente com uma fonte de luz rica em raios ultravioleta (3.760 Å).
Revelação imprópria. • Revelar com água à temperatura ambiente (±20ºC). A temperatura não deve exceder a 40ºC. • Diminuir a pressão da água.
Camada irregular. • Verificar na etapa 1 "APLICAÇÃO DA EMULSÃO E SECAGEM" o problema "camada irregular".
Positivo sujo, não transparente ou sobreposto (montagem). • Limpar o positivo antes de fotografar a matriz. • Fotografar novo positivo, sem montagens. • Aumentar o tempo de exposição para compensar a opacidade do laser film ou papel vegetal. • Utilizar o Clear Film AGABÊ em impressoras de jato de tinta.
Sensibilização incorreta. • Garantir que o sensibilizador esteja perfeitamente misturado com a emulsão. • Emulsões diazóicas: dissolver totalmente o Diazo (pó) em água a 22ºC, antes de adicioná-lo à emulsão. Sensibilizar todo o pote. • Emulsões bicromatadas: sensibilizar o suficiente para 4 dias de trabalho. • Observar corretamente a proporção entre sensibilizador e emulsão.
A emulsão não chegou a secar antes de ser exposta. • Deixar a emulsão secar completamente antes da exposição. • Para camadas superiores a 500 µm de espessura, secar à temperatura ambiente por aproximadamente 6 horas. • Usar um desumidificador.
Poeira e/ou sujeira depositada sobre o positivo, o vidro da prensa de contato ou na camada de emulsão. • Limpar o positivo e o vidro da prensa de contato antes da exposição. • Manter limpos os filtros da estufa e as ventoinhas. • Manter limpa a área de trabalho.
A IMAGEM NÃO APARECE OU É DE DIFÍCIL REVELAÇÃO Super exposição. (tempo excessivo). • Determinar o tempo de exposição correto. • Usar a Escala Agabê para controle de exposição, definição e resolução.
A matriz recebeu uma irradiação acidental de ultravioleta. • Usar apenas lâmpadas amarelas no laboratório. • Vedar todas as entradas de luz branca externa e bloquear vazamentos da fonte de luz.
O positivo não está bloqueando completamente a passagem da luz. • Observar a opacidade do positivo: melhorar a opacidade de impressões a laser utilizando o Reforçador de imagens Opak Laser. • Utilizar positivos de melhor qualidade.
Emulsões bicromatadas expostas a calor excessivo após aplicação. • Não secar as matrizes em temperaturas superiores a 40°C. • Controlar a temperatura da estufa.
Emulsões bicromatadas: intervalo de tempo excessivo entre secagem, exposição e revelação. • Quando usar emulsões bicromatadas, expor e revelar imediatamente após a secagem.
O positivo não estava em perfeito contato com a emulsão. • Usar uma prensa de vácuo para garantir um perfeito contato entre o positivo e a emulsão serigráfica.
Tecido branco causando difração (espalhamento) da luz. • Usar tecidos tingidos. • Para detalhes finos, verificar na etapa 3 "AVALIAÇÃO FINAL" o problema "baixa resolução (perda dos detalhes finos)".
Fonte de exposição muito próxima da matriz. • A distância ideal entre a fonte de luz e a matriz é no mínimo a medida da diagonal da área da emulsão.
3 Avaliação final

PROBLEMA

CAUSA

SOLUÇÃO

BAIXA RESOLUÇÃO
(PERDA DOS
DETALHES FINOS)
A emulsão selecionada não é a ideal para detalhes finos. • Consultar as características das Emulsões AGABÊ para selecionar a emulsão ideal para seu serviço. • Preferencialmente, opte por uma das linhas UNIFILM, DUALFILM ou DIRAFILM, que garantirão altíssima resolução.
O positivo não estava em perfeito contato com a emulsão. • Usar uma prensa de vácuo.
• Não utilizar positivos compostos de várias camadas sobrepostas (montagens)
O positivo foi colocado com a camada invertida. • Inverter o positivo para a posição correta: a camada fotográfica, tonner ou tinta do positivo (lado preto) deve estar em contato com a emulsão serigráfica.
Positivos sobrepostos (montagens). • Gerar novo positivo, sem montagens.
Tecido branco causando difração (espalhamento) da luz. • Usar tecidos de cor amarela ou laranja.
Seleção incorreta do tecido (número de fios/cm e diâmetro dos fios). • Os menores pontos devem ser ancorados por mais de 2 fios. • Escolher um diâmetro de fio que não obstrua a passagem da tinta nos detalhes mais finos. • Evitar o paralelismo entre linhas retas do desenho com os fios do tecido (inclinar de 10 a 20 o ).
Espessura da camada incompatível com o desenho. • Camada ideal: retículas: 10% da espessura do tecido. Letras/traços: 25%. • Utilizar a Escala AGABÊ para Controle de Exposição, Definição e Resolução.
Super-exposição(tempo excessivo). • Determinar o tempo de exposição correto. • Utilizar a Escala AGABÊ para Controle de Exposição, Definição e Resolução.
Fonte de luz muito próxima da matriz. • A distância ideal entre a fonte de luz e a matriz é no mínimo a medida da diagonal da área da emulsão.
Fonte de exposição inadequada: fontes de luz múltiplas, lâmpadas não pontuais etc. • Utilizar uma fonte de luz pontual. • Garantir que os raios de luz sejam paralelos e ortogonais à matriz.
Revelação incompleta. • Usar um jato de água suave, em ambos os lados da matriz, até o aparecimento completo da imagem. Se necessário, aumentar a pressão do jato de água no lado externo da matriz. • Para locais muito frios, usar água morna que acelera a dissolução da emulsão. • Para matrizes com tecidos abertos ou camadas espessas, deixá-las submersas em água por alguns minutos antes de usar o jato de água.
Resíduos de emulsão não endurecida depositados nas áreas abertas da matriz (Véu) . • Utilizar o Anti-Véu HB70, que atua sobre a emulsão já revelada endurecendo-a completamente.
BAIXA DEFINIÇÃO
(FALTA DE
CONTORNOS
NÍTIDOS)
Baixa qualidade do desenho ou do positivo. • Controlar a qualidade da arte final, negativo e positivo. • Utilizar saídas digitais com mais de 1200 DPIs de resolução gráfica.
A emulsão selecionada não permite boa definição. • As emulsões AGABÊ garantem camadas planas e bordas bem definidas. Consultar as características das Emulsões AGABÊ para selecionar a emulsão ideal para seu serviço.
Camada de emulsão no lado interno da matriz (aplicação incorreta da emulsão). • Aplicação correta da emulsão: aplicar duas demãos pelo lado externo e, em seguida, sem secar, aplicar demãos pelo lado interno, de acordo com a espessura desejada. • Secar a matriz na posição horizontal, com o lado externo para baixo. • Após a secagem, pode-se aplicar mais duas demãos pelo lado externo, para melhorar a planeidade da camada.
Baixa espessura da camada de emulsão. • Aumentar a espessura da camada de emulsão, aumentando o número de demãos pelo lado interno, sem secagem intermediária. • Utilizar uma emulsão com maior teor de sólidos.
Pouca planeidade da camada
de emulsão (altos valores de Rz).
• Utilizar emulsões da linha UNIFILM ou DUALFILM, que garantem planeidadade (valores baixos de Rz), mesmo em camadas finas. • Corrigir o processo de emulsionamento.
Espessura irregular da camada fotográfica (camada não uniforme). • Verificar na etapa 1 "APLICAÇÃO DA EMULSÃO E SECAGEM" o problema "camada irregular" .
O positivo não estava em perfeito contato com a emulsão. • Usar uma prensa de vácuo para garantir um perfeito contato entre o positivo e a emulsão.
Tecido branco causando difração (espalhamento) da luz. • Usar tecidos de cor amarela ou laranja.
Tempo de exposição inadequado. • Determinar o tempo de exposição correto. • Usar a Escala Agabê para controle de exposição, definição e resolução.
4 IMPRESSÃO

PROBLEMA

CAUSA

SOLUÇÃO

BAIXA VIDA ÚTIL DA MATRIZ (FUROS E IMAGEM DANIFICADA DURANTE A IMPRESSÃO) Tensão incorreta do tecido. • Esticar o tecido com equipamento pneumático ou mecânico. • Tensionar segundo recomendação do fabricante do tecido.
Tecido de baixa qualidade. • Utilizar tecidos identificados pelo fabricante (especificações impressas na ourela) e de procedência confiável: Saati ou Screen Mesh.
Tecido contaminado com graxas, óleos ou gorduras. • Desengraxar o tecido com HB 10 ou Decaprep e enxaguar completamente. Para tecidos muito contaminados, desengraxar com a Pasta alcalina HB 54 ou Decaclean HR. • Para agilizar a secagem do tecido, usar um aspirador de água. Não utilizar ar comprimido.
Má aderência da emulsão nos fios do tecido. • Usar o Abrasivo HB 12 (pasta), que torna o tecido levemente áspero, ou o Condicionador Decaprep, que graças ao seu promotor de adesão, aumenta a aderência da emulsão aos fios do tecido. • Utilizar tecidos Saati da linha Hi-R ou Hi-Bond Plus com superíficies pré-tratadas para maior adesão.
Sub-exposição / Fonte de luz incorreta • Verificar na etapa 2 "EXPOSIÇÃO E REVELAÇÃO”, o problema “a camada de emulsão apresenta furos...”, as causas "Sub exposição" e "Fonte de luz incorreta".
Camada irregular. • Verificar na etapa 1 "APLICAÇÃO DA EMULSÃO E SECAGEM" o problema "camada irregular" .
Emulsão incompatível com a tinta e com o solvente de limpeza. • Consultar o manual técnico do fabricante da tinta para a identificação de seus solventes.
• Consultar as características das Emulsões AGABÊ para selecionar a emulsão ideal para o seu trabalho. • Para aumentar a resistência da matriz aos produtos e às tintas à base de água, usar os Endurecedores HB 72 ou HB 76, Decacure ou os Catalisadores HB 74 ou HB 78.
Pressão excessiva do rodo. • Avaliar a pressão ideal. Alterar outras variáveis: viscosidade da tinta, lineatura do tecido, fora de contato, dureza e perfil do rodo de impressão, etc.
CAMADA DE EMULSÃO QUEBRADIÇA Baixa umidade ou frio excessivo • Controlar a umidade relativa do ar e temperatura na área de impressão. • Umedecer a matriz com água antes da impressão. • Antes da impressão de plastisol com alto relevo, aplicar na matriz o amaciante da própria tinta.
MOIRÉ Incompatibilidade entre as lineaturas do positivo (linhas de retícula/cm) e do tecido da matriz (fios/cm). • Utilize o Controlador de Moiré da Agabê para a definição correta do tecido, lineatura do positivo e inclinação da trama. • Caso não possa alterar o positivo nem o tecido, utilize o Controlador para definir um ângulo que lhe reduza o defeito.
Escolha incorreta do diâmetro do
fio do tecido.
• Selecionar um tecido com fios mais finos (maior porcentagem de área aberta), que diminui a chance de bloqueio da tinta durante a impressão.
Escolha incorreta de tecido com tecitura tipo sarja (TW – 1:2, 2:2 ou 3:3). • Sempre usar tecidos com a estrutura tafetá (PW – 1:1).
Tensionamento incorreto do tecido. • Usar um positivo com opacidade acima de 3,2. • No caso de utilizar positivos impressos a laser, usar o Reforçador Opak Laser para escurecer o toner.
Pouca planeidade da camada de emulsão aplicada (valores altos de Rz). • Utilizar emulsões da linha UNIFILM ou DUALFILM, que garantem boa planeidadade (valores baixos de Rz), mesmo em camadas finas. • Corrigir o processo de emulsionamento para atingir um Rz de 5,0.
Espessura da emulsão muito alta. • Camada ideal: 10% da espessura do tecido.
ÁREAS ABERTAS DA MATRIZ NÃO IMPRIMEM Resíduos de emulsão não endurecida depositados nas áreas abertas da matriz (Véu) . • Revelar totalmente a matriz e aplicar o Anti-Véu HB70, que atua sobre a emulsão já revelada endurecendo-a completamente. • Determinar o tempo de exposição correto.
Opacidade do positivo insuficiente ou não retocado. • Utilizar um positivo com opacidade acima de 3,2 e retocar com Tinta OPAK. • No caso de utilizar positivos impressos a laser, utilizar o Reforçador OPAK LASER para reforçar (escurecer) o toner.
Resíduos de tinta seca bloqueando a passagem de tinta. • Limpar a matriz completamente após a impressão, utilizando um VARIOPRESS ou o próprio solvente de limpeza. • Verificar a etapa 5 "REAPROVEITAMENTO DA MATRIZ" para garantir a completa limpeza do tecido.
5 REAPROVEITAMENTO DA MATRIZ

PROBLEMA

CAUSA

SOLUÇÃO

CAMADA DE DIFÍCIL REMOÇÃO Resíduos de tinta seca na matriz impedem a ação dos produtos removedores de emulsão. • Retirar esses resíduos com HB 52 ou um dos Variopress ou Varioclean S. Testar para verificar a versão com melhor eficiência de limpeza para sua tinta e equipamento de lavagem. • Usar o Decaclean MIX A+B, que em uma operação remove a tinta e a emulsão, desengraxa a tela e previne a formação de imagem fantasma.
Utilização de produtos inadequados para a recuperação da matriz. • Usar o Removedor de emulsões HB 50 ou o Variostrip Concentrado. • Não utilizar cloro que, além de prejudicial à saúde, ataca o tecido, reduzindo a vida útil da matriz.
Matrizes feitas com emulsões que resistem a tintas e produtos à base de água, fotografadas há vários meses, ou endurecidas ou catalisadas. • Estas matrizes são difíceis de recuperar. Algumas podem ser reaproveitadas utilizando-se o Removedor HB 52 após a aplicação do Removedor HB 50. • Usar um líquido removedor mais concentrado: prepare a versão do HB 50 Pó, Concentrado, Super concentrado ou o VARIOSTRIP adicionando menos água do que o indicado. • Usar o Removedor Multifuncional Decaclean MIX A+B.
Catalisador de tinta de dois componentes agindo sobre a emulsão. • Ver solução proposta para a causa anterior.
Sub-exposição • Determinar o tempo de exposição correto. Algumas emulsões, quando sub expostas, são difíceis de recuperar.
IMAGEM FANTASMA Fios do tecido tingidos pela tinta de impressão. • Usar o Removedor monocomponente Decaclean HR ou a Pasta alcalina HB 54 em conjunto com o Removedor de resíduos HB 52. • Prevenir a formação da imagem fantasma com o Solvente Variopress ou os Removedores Varioclean S ou Decaclean MIX A+B.

 

 
 

Rua Madre de Deus, 719 - CEP 03119-001 - SP
Brasil - (11) 2813-4600 | agabe@agabe.com

Agabê by VitaminaWeb