Agabê

Saúde, segurança e respeito ao meio ambiente

(11) 2813-4600

Produtos

Unifilm TXT

Unifilm TXT

EMULSÃO FOTOGRÁFICA
(PROCESSO DIRETO)

PRODUTO:
Emulsão fotográfica pré-sensibilizada com fotopolímero puro.


APLICAÇÃO:
Preparação de matrizes de alto relevo para os mercados têxtil e cerâmico.


PROPRIEDADES:
• Resistência química: para impressão com plastisóis, gel, silicone, tintas a base de água ou aguarrás e granilhas ou tintas
especiais para a indústria cerâmica.

• Alta viscosidade: graças a esta característica, a UNIFILM TXT não escorre nem pinga durante o processo de
aplicação, permitindo a obtenção de uma camada espessa de até 800 μm, sem secagem intermediária, em tecidos de
32 a 90 fios/cm.

• Elevado teor de sólidos: possui 52% de sólidos, o que garante uma menor alteração da espessura durante o processo
de secagem.

• Excepcional nível de detalhes finos: sua ampla latitude de exposição permite alta resolução mesmo em camadas
espessas.

• Altíssima definição: recorte da imagem totalmente independente da trama do tecido, mesmo para telas bem abertas.

• Pré sensibilizada – fotopolímero puro: pronta para usar, não é necessário adicionar qualquer sensibilizador, nem esperar
algumas horas para a eliminação das bolhas de ar.

• Exposição extremamente rápida: graças à tecnologia de fotopolímeros de última geração, o tempo de exposição à luz
(fotografia da imagem) é bastante curto, mesmo para camadas espessas (aproximadamente 8 vezes mais rápido do que
para uma emulsão diazóica tradicional, na mesma espessura).

• Altas tiragens: devido a sua perfeita adesão ao tecido, proporciona elevado número de impressões.

• Mais agilidade: maior rapidez em todo o processo de gravação de matrizes de alto relevo, pois permite a construção de
camadas com até 800 μm de espessura, sem secagem intermediária - aplicação úmido sobre úmido.

 

CARACTERÍSTICAS:

           Obs.: Não armazenar as emulsões em temperaturas inferiores a 0ºC.

 

INSTRUÇÕES PARA USO:


ESCOLHA DO TECIDO:
É fundamental a seleção correta do tecido, já que ele funcionará como uma estrutura para suportar a camada fotográfica,
determinará a deposição de tinta e terá influência na definição e resolução da imagem.

Escolha o tecido ideal, observando os seguintes fatores:

a - Material do fio: utilizar um tecido de poliéster de alto módulo, que proporciona registros de impressão muito precisos,
devido a sua excelente estabilidade dimensional. Além disso, possui uma boa resistência mecânica e à ruptura.

b - Quantidade de fios por centímetro linear (Lineatura): determina a deposição de tinta. Também relacionada com a
ancoragem da camada fotográfica. Para maior deposição de tinta, utilizar tecidos mais abertos (menos fios por centímetro
linear). Se houverem detalhes finos, escolha uma lineatura na qual o menor ponto esteja ancorado em pelo menos dois fios
de tecido em cada direção.

c - Tipo de fio: devido a sua precisão e características de passagem de tinta, sempre trabalhar com um tecido de
monofilamento.

d - Diâmetro dos fios: normalmente, para uma mesma lineatura, estão disponíveis tecidos com diâmetro de fios distintos.
Quanto maior for o diâmetro do fio, maior é a probabilidade de bloquear a passagem de tinta, causando falhas na impressão de detalhes. Sugerimos a utilização de tecidos com a maior porcentagem de área aberta possível (menor diâmetro de fio).

 

TENSIONAMENTO DA MATRIZ:
Para a perfeita impressão de alto relevo com plastisol de alta densidade, esticar o tecido com tensões superiores a 25 N/cm.

Para os outros tipos de tintas, consultar o fabricante e determinar a tensão ideal baseando-se no processo de impressão.

Sempre utilizar equipamentos pneumáticos, mecânicos ou quadros retensionáveis, pois a falta de controle de tensão no
processo manual, provoca distorções, perda de registro e alterações na espessura de tinta.

Esticar todas as matrizes de um mesmo desenho, no mesmo dia e com a mesma tensão.

Utilizar o Adesivo 2 Componentes DECAFIX que proporciona uma colagem forte e permanente de qualquer tipo de tecido em caixilhos de madeira, alumínio ou ferro. DECAFIX seca rapidamente, permitindo uma utilização mais efetiva dos
equipamentos de esticagem. Depois de decorrido o tempo de polimerização, o adesivo é completamente resistente aos
solventes usados em serigrafia. A AGABÊ também fabrica o Adesivo DECAFIX Instantâneo, de secagem imediata.

 

PREPARAÇÃO DO TECIDO:
Antes de aplicar a emulsão, o tecido deve estar completamente limpo, livre de pó, gordura, graxa, resíduos de tintas e
de emulsões. A limpeza é indispensável para se conseguir uma perfeita adesão da emulsão nos fios do tecido, melhor
uniformidade da camada aplicada, evitar furos e manchas e consequentemente aumentar a vida útil da matriz.

Para uma perfeita limpeza, é recomendável o uso do Desengraxante HB 10 (Pasta ou Gel), do Condicionador DECAPREP, do Removedor DECACLEAN HR ou da Pasta Alcalina HB 54 (para tecidos excessivamente sujos). Molhar o tecido da matriz
e aplicar o produto, esfregando suavemente sobre toda a superfície, em ambos os lados do tecido.

Enxaguar com água corrente até a eliminação total do produto. Não tocar no tecido após o tratamento.

Em tecidos bem abertos, a ancoragem da emulsão pode ser otimizada utilizando o Abrasivo HB 12 em Pasta (aumento da
área de contato superficial).


SENSIBILIZAÇÃO DA EMULSÃO:
A emulsão UNIFILM TXT já vem pronta para o uso. Não é necessário adicionar sensibilizador, nem deixar a emulsão
descansar para a eliminação de bolhas de ar, geradas durante sua mistura com a solução do sensibilizador. Da embalagem
diretamente ao aplicador de emulsões.

Trabalhar somente sob luz amarela durante todo o processo de preparação da matriz. A infiltração de luz branca no ambiente de trabalho pode causar o endurecimento da emulsão e comprometer a revelação).

APLICAÇÃO DA EMULSÃO:
Para a aplicação manual, é aconselhável o uso do aplicador de emulsões HB APLIC®, que apresenta perfil ergonômico em
alumínio anodizado, com dois tipos de bordas para espessuras de deposição diferentes e laterais plásticas removíveis, que
garantem a inclinação ideal na aplicação da emulsão.

Utilizar sempre um aplicador que cubra a largura total da tela. Não utilizar um aplicador pequeno em várias passadas
paralelas, o que formará uma camada de espessura irregular. Sugerimos a utilização da borda fina.

Aplicar a emulsão com a matriz na posição vertical, levemente inclinada. Passe lentamente 4 demãos no lado interno que é
o lado do rodo de impressão, para preencher o tecido com emulsão. Em seguida, para garantir a uniformidade da camada
aplicada, recolha a emulsão pelo lado externo, de preferência com outro aplicador. Esta emulsão recolhida deve ser guardada para uso posterior.

A seguir, sem secar, aplique de 6 a 18 demãos no lado interno, forçando a emulsão para fora, construindo assim a camada
espessa. Para se obter uma melhor uniformidade da espessura, inverta o sentido de aplicação a cada 4 passadas.

Quanto mais demãos forem aplicadas pelo lado interno, maior será a espessura da camada no lado externo.

Pode haver uma pequena variação da espessura, dependendo da quantidade de emulsão colocada no aplicador, da
inclinação da matriz, da pressão e velocidade de aplicação. Para um perfeito controle, sugerimos a utilização de um medidor de espessura.

Para selecionar o método correto de aplicação, consulte a Tabela 1, com as espessuras finais para vários métodos de
aplicação em diversos tecidos.

SECAGEM:
Deixar a emulsão secar completamente, com a matriz na posição horizontal, com o lado externo voltado para baixo (posição de impressão).

A estufa de secagem deve possuir entrada de ar quente, seco e filtrado, com saída de ar, de preferência para fora do laboratório.

Não seque em temperaturas superiores a 50º C. Em regiões de umidade elevada, utilizar um desumidificador.

Quanto maior for a espessura da camada, maior será o tempo de secagem. Para camadas bastante grossas, sugerimos
deixar a matriz secar durante a noite em um local seco, limpo e escuro. Garantir que não haja uma incidência acidental de
raios ultravioleta.

A emulsão estará completamente seca, quando a camada adquirir uma aparência translúcida.

 

EXPOSIÇÃO À LUZ (Cópia da imagem):
A perfeita reprodução da imagem depende dos seguintes fatores:

POSITIVO:
Observar a qualidade do positivo: as áreas escuras devem ter boa opacidade (densidade acima de 3.2) para bloquear
completamente os raios de luz que endurecem a camada fotográfica. As demais áreas devem ser transparentes e livres de
sujeira ou poeira, para evitar a retenção de luz e o aparecimento de furos na matriz fotografada. Evite usar positivos semi
opacos (leitosos) como Laserfilm ou papel vegetal impressos a laser. Para trabalhos com alta definição, utilizar saídas
digitais com mais de 1.200 dpis de resolução gráfica.

Posicionar o positivo sobre o lado externo da matriz e fixar com fita adesiva transparente. A camada opaca do positivo (lado preto) deve estar em contato com a emulsão serigráfica.

Para a fiel reprodução do original, mantenha um perfeito contato entre o positivo e a emulsão durante a exposição.

É aconselhável o uso de uma prensa de vácuo.

Obs.: Para impressão legível, o positivo deve ser legível; para impressão ilegível, o positivo deve ser ilegível.

 

FONTE DE LUZ:
Tipo: a UNIFILM TXT deve ser fotografada com uma fonte de luz rica em raios ultravioleta, como lâmpadas halógenas ou de vapor de mercúrio.

Geometria: para uma perfeita reprodução da imagem e endurecimento uniforme da emulsão, os raios de luz devem ser
perpendiculares ao positivo, a lâmpada deve ser puntiforme e a distância entre a fonte de luz e a superfície da matriz deve
ser no mínimo igual à diagonal da tela. Distâncias maiores reduzem a perda de resolução da imagem.

O uso de várias lâmpadas tubulares produz uma luz difusa e sem foco e não é adequado para a reprodução de detalhes finos.

 

TEMPO DE EXPOSIÇÃO:
O tempo de exposição é muito importante, pois determina a qualidade da definição, o nível de resolução e a vida útil da
matriz. Durante a exposição, o lado externo da camada fotográfica reage inicialmente com os raios de luz. Com o passar do tempo, o endurecimento atinge também as camadas mais internas da emulsão.

Se o tempo de exposição for insuficiente, a emulsão no lado interno da matriz não estará completamente endurecida e se
soltará durante a revelação. No caso de superexposição, a difração de luz provocará uma perda dos detalhes finos e da nitidez dos contornos.

O tempo correto de exposição depende de vários fatores: da lineatura e cor do tecido, do diâmetro do fio, tipo e espessura
da camada fotográfica, potência e vida útil da fonte de luz, distância da fonte à matriz, nível de secagem da emulsão e
transparência e opacidade do positivo.

Para determinar o tempo ideal, utilize a Escala AGABÊ para controle de exposição, definição e resolução para matrizes de
alto relevo.

Existe também uma forma prática de chegar ao tempo correto de exposição, utilizando o Teste da Gota de Água: fixe o positivo na emulsão e exponha a matriz por um tempo curto (30 segundos, por exemplo). Ao final desta primeira exposição, sem deslocar o positivo, coloque uma gota de água sobre a emulsão, no lado interno, em uma área fora do desenho. Aguarde alguns segundos e passe o dedo para verificar se a camada de emulsão está se dissolvendo. Caso isso aconteça, o tempo de exposição foi insuficiente. Seque e volte a expor a matriz por um tempo suplementar (por exemplo, mais 10 segundos).

Repita este processo até que a camada esteja firme. Anote o tempo de exposição total somando os vários períodos. Revele
a matriz com água e observe a imagem. Se houve perda dos detalhes, o tempo de exposição ideal foi ultrapassado.

Exponha uma nova matriz por um tempo menor, buscando o equilíbrio entre endurecimento e nível de detalhes obtidos.

A Tabela 2 apresenta alguns exemplos de tempos de exposição com vários tipos de tecidos e espessuras de camadas, que
podem ser usados como base para testes iniciais.

 

Tabela 2: Tempos de exposição da UNIFILM TXT para vários tecidos e espessuras.

Obs.: O tempo de exposição pode ser ajustado, para outras condições de trabalho. Corrija o tempo sabendo que ele é
proporcional à espessura da camada e inversamente proporcional à potencia da lâmpada e ao quadrado da distância da
lâmpada à matriz.

 

REVELAÇÃO:
Revelar a matriz dirigindo em ambos os lados um jato suave de água, de preferência com um espalhador. Continuar a lavagem até que a imagem apareça totalmente e as áreas não expostas estejam completamente livres de resíduos de emulsão. Use maior pressão somente no lado externo.

Para garantir a revelação uniforme de detalhes, sugerimos girar a matriz e espalhar a água em várias direções.

Para matrizes com camadas muito espessas, deixá-las submersas em água por aproximadamente 20 minutos antes de usar o jato de água. A água ligeiramente aquecida auxiliará na dissolução da emulsão não fotografada (não endurecida pela luz ultravioleta).

Avaliar a qualidade da matriz observando a Escala AGABÊ para controle de Exposição, Definição e Resolução para matrizes
de Alto Relevo.

Caso a matriz tenha ficado subexposta, com a emulsão ainda úmida, aplicar o Anti-véu HB 70 utilizando uma esponja macia, em ambos os lados da camada, iniciando pelo lado interno. Aguardar alguns segundos e lavar com água corrente.

Este produto atua sobre a emulsão já revelada, endurecendo-a completamente e evitando a formação de véus (resíduos de emulsão não endurecidos que bloqueiam a passagem de tinta nas áreas abertas da matriz).

 

ACABAMENTO:
Secar a matriz completamente. Retocar eventuais furos ou falhas e vedar as bordas da matriz com o bloqueador adequado.

Utilizar os Bloqueadores Removíveis HB 20 Rápido ou Normal se a impressão for com plastisol; caso a tinta seja à base de
água, utilizar o Bloqueador Permanente HB 20 ACQUA ou a própria emulsão. Neste último caso, é recomendável uma
exposição posterior, para tornar os retoques insolúveis em água.

 

TRATAMENTOS POSTERIORES:
Endurecimento químico: para aumentar a resistência da matriz à abrasão e a produtos à base de água, utilizar os
Endurecedores HB 72, HB 76 ou o Catalisador HB 74.

 

REAPROVEITAMENTO (Recuperação do tecido):
Utilizar os Removedores de resíduos de tintas HB 52 ou DECASOLV LM, para eliminar os resíduos de tinta que formam uma
barreira que impede a ação dos removedores de emulsão.

Em seguida, utilizar o Removedor de emulsões HB 50, para a dissolução da camada fotográfica. Para otimizar a limpeza,
molhar bem a matriz com água e aplicar o Removedor HB 50 em Pasta ou Light Gel, com uma brocha, no lado interno da
matriz (lado do rodo). Deixar atuar por dois minutos, e em seguida, lavar com água corrente e aplicar um jato de alta pressão pelo lado interno.

Para retirar a imagem fantasma (fios do tecido tingidos pela tinta de impressão), utilizar o Removedor Monocomponente
DECACLEAN HR ou a Pasta alcalina HB 54 (Super ou Normal) em conjunto com o Removedor de resíduos de tintas HB 52.

Obs: Utilizar o HB 54 Normal somente com o HB 52 Líquido, Gel ou Extra.

Obs.: Antes de utilizar os produtos de limpeza, consultar os respectivos informativos técnicos para obter
informações detalhadas de como aplicá-los. Disponíveis no site www.agabe.com

 

CUIDADOS:
A emulsão UNIFILM TXT não oferece riscos, desde que sejam observados os princípios mínimos de segurança do
trabalho e higiene industrial.

Frases de risco: Isento.

Frases de segurança: Isento.


OBSERVAÇÃO:
As informações contidas neste folheto representam o melhor dos nossos conhecimentos atuais, porém não envolvem
qualquer responsabilidade. Recomendamos testes antes de utilizar os produtos. Para maiores informações, vide literatura
técnica e ficha de segurança de cada produto.

Verso para Impresso Verso para Impresso em PDF Ficha de Segurana Manual para preparao de matrizes serigrficas Guia de Solues de Problemas

Rua Madre de Deus, 719 - CEP 03119-001 - SP
Brasil - (11) 2813-4600 | agabe@agabe.com

Agabê by VitaminaWeb